Diário Quebrando a Caixa #3 – Aquele sobre fracassos

 

No diário passado  contei para vocês o quanto fui assertivo ao dar ouvidos a minha intuição (que essa semana ganhou o apelido carinhoso de Mago Engenheiro).

 

A luz no final do túnel foi revelada quando ela me apontou o caminho exato a ser seguido. Deste momento iluminado surgiu a Oficina de Life Designing 

 

Agora é só sucesso, certo?

 

free funny kid GIF by The Videobook

 

Muito pelo contrário!!!

 

Agora que o convite havia sido lançado e as pessoas estavam genuinamente interessadas em realizar uma imersão pessoal e aprender o que eu tinha a compartilhar vinha a parte mais difícil: executar os quatro encontros propostos.

 

Confesso que eu estava com medo.  Medo não, pavor em fracassar!!!

 

 

O problema não era a falta de domínio do assunto ou a incapacidade em facilitar o processo.

 

Eu havia estudado e planejado o conteúdo da oficina com todo cuidado e já conduzi diversos treinamentos para grandes grupos ao longo de toda minha trajetória profissional.

 

Então, onde morava o problema?

 

A raiz daquela sensação horrível na boca do estomago estava diretamente relacionado ao meu medo de fracassar e mais especificamente de fracassar com o meu trabalho na carreira solo.

 

Lidar com os sonhos das outras pessoas é uma mega responsabilidade e que devemos tratar com o mesmo carinho, cuidado e empolgação que faríamos com os nossos próprios sonhos.

 

O meu objetivo final era criar uma experiência de autoconhecimento acolhedora, que permite-se que os participantes refletissem sobre seus talentos, paixões e possibilidades, e tomassem decisões refletidas sobre o seu futuro pessoal e profissional.

 

Falhar nesse objetivo, seria falhar com eles e comigo. Neste meio tempo, fui assombrado por pensamentos do tipo:

 

 

“Será que a oficina vai atender as necessidades dos participantes?”

 

“Será que vão gostar da minha facilitação?”

 

“Serei capaz de atingir as expectativas esperadas?”

 

 

Esses medos infundados só servem para desviar a energia do que realmente importa, limitar nosso potencial e aprisionar nossa confiança.

 

Então passei a me perguntar:

 

“E se eu falhar, qual será o problema nisso?”

 

“Está é uma oficina protótipo.Experimentação é a palavra chave”

 

“Nada será 100% perfeito na primeira tacada, assim como todo mundo começou de um lugar”

 

 

E com esse novo olhar começava a minha jornada de ressignificação do fracasso.

 

 

 

“O fracasso é a oportunidade de se começar de novo, com inteligência.”

(Henry Ford)

 

 

Desde de que tomei a decisão de realizar minha transição de carreira e viver este sabático empreendedor me propus a conhecer gente.

 

E nessa jornada busquei pessoas com uma trajetória parecida, que estão vários passos a minha frente e conseguem compartilhar experiências que posso facilmente me relacionar.

No simples ato de bater papo com essa galera, consigo assimilar suas experiências e aprender com seus erros.

 

Essa experiência tem sido enriquecedora por vários motivos, por isso, vou fazer um diário dedicado especialmente a ela.

 

Nesses papos uma ficha importante finalmente caiu. Não somos apenas nos que cometemos erros. Não é uma habilidade particular!

 

Precisamos aprender a ser humildes e pedir ajuda!

 

Precisamos aprender a ser mais acolhedores com nossas próprias falhas!

 

Todo mundo algum dia falhou ou vai falhar.  Este é um dos fatos da vida que podemos ter certeza e que nos torna únicos.

 

Somos apenas seres humanos.

 

Ao falharmos ganhamos um grande presente: a oportunidade de aprender algo novo e posteriormente melhorar.

 

 

“Lembre-se dos dois benefícios do fracasso. Primeiro, se você fracassa, você aprende o que não funciona; e segundo, o fracasso dá a você a oportunidade para tentar um novo caminho.”

(Roger von Oech)

 

 

Acredito que muito desse medo em falhar parte da nossa cultura. Somos ensinados desde cedo que errar é uma coisa ruim.

 

Se você vai mal nas questões da prova, o resultado vem através da nota ruim, com notas ruins você não consegue entrar em uma boa universidade e a corrente do mal pode percorrer vários outros caminhos.

 

Contudo, vamos falar de coisa boa!

 

Importamos e distorcemos o ideal de sucesso a partir do sonho americano, assim sem muita compreensão, fomos lá e só pegamos a ideia geral.

 

O que precisamos fazer é iniciar um movimento contra-cultural para mudar aos poucos esse estigma brasileiro em relação ao fracasso.

 

No Vale do Silício por exemplo, o polo empreendedor destaque dos Estados Unidos, berço de gigantes como Google, Apple e Facebook, as falhas tem um nome específico: experiência!

 

Para eles a maestria chega com o tempo, assim como os resultados e o impacto do trabalho que você faz.

 

Esse tipo de pensamento traz liberdade e tira um peso das nossas costas.

 

Assim como a vida, tirar um projeto do papel é um processo e processos podem gerar falhas ao longo do caminho.

 

Ajuda a criar uma couraça se alteramos o nosso modus operandi em relação a falhas: agir rápido, falhar rápido e corrigir a rota na mesma velocidade.

 

Está é a maneira mais eficiente de conseguir sucesso em qualquer área das nossos vidas.

 

Assim como o desempenho de um atleta ou uma startup estão atrelados a muita:

 

  • Dedicação + Treino;
  • Teste;
  • Falha;
  • Aprendizado + Correção;
  • Repetição do Ciclo.

 

Ao olharmos para o fracasso a partir deste ângulo, ele deixa de ser um obstáculo a ser temido e passa a ser apenas um novo degrau a ser galgado em nossa louca jornada.  

 

Vença o medo. Atreva-se pelo menos a dar o primeiro passo!

 

 

Olá, muito prazer!

 

Se ainda não me conhece, sou o Pedro Costa.

 

Trabalhei por mais de 7 anos com empreendedorismo social e em startups de tecnologia, desenvolvendo projetos e pessoas em áreas como comercial, atendimento e logística.

Fiz uma transição de carreira e agora vivo o meu sabático empreendedor, onde estou desbloqueando as minhas diferentes versões.

Estou Coach Ontológico, Life Designer, Consultor de Projetos, Criador de Experiências de Aprendizagem e Produtor de Conteúdo.

 

Adicionalmente estou prototipando diversas iniciativas com intuito de ajudar as pessoas a tirarem seus projetos da gaveta e planejarem a vida/carreira que amem.

 

Assine a minha newsletter e receba conteúdos exclusivos sobre planejamento de vida e carreira, autoconhecimento, qualidade de vida, trabalho autônomo, empreendedorismo e futuro do trabalho.